fbpx

ESG: o que é e qual seu significado?

Muitas pessoas creem que ter resultados financeiros sólidos em uma corporação sobrepõe-se a necessidade de construir um planeta mais sustentável. No entanto, termos como “ESG” vêm ganhando espaço nas grandes empresas.

Isso porque a gestão ambiental, responsabilidade social e padrões de governança aprimorados são características que impulsionam os resultados das empresas.

De acordo com um estudo realizado pela consultoria BCG, as empresas que implementam políticas ambientais, sociais e de governança mais fortes desfrutam de uma série de benefícios, incluindo aumento de lucratividade e de seu valor de mercado ao longo do tempo.

Ou seja, as organizações que aderem às melhores práticas de gestão têm uma atuação mais sustentável em diversas áreas, incluindo economia e gestão de riscos, e como resultado, produzem resultados superiores no longo prazo.

Confira abaixo o que é o ESG, siglas e como colocar em prática.

O que é o ESG?

Para começar, é importante entender o que significa cada letra da sigla “ESG”. Ambiental (E), Social (S) e Governança (G) são as letras da sigla (G). Também é conhecido como ASG no Brasil.

Saiba mais sobre as siglas do ESG:

Environmental ou Ambiental

Ligação ESG

É um termo que descreve as atividades ambientais de uma empresa ou entidade.

Aquecimento global, poluição de gases poluentes como carbono e metano, poluição do ar e da água, extração de madeira, gestão de resíduos, eficiência energética, biodiversidade são questões tratadas no Environmental ou Ambiental.

Social

Tem a ver com a responsabilidade social corporativa e o impacto das empresas e organizações na comunidade e na sociedade.

Geralmente, refere-se a temas como direitos humanos e normas trabalhistas, segurança do trabalho, um salário justo, diversidade de gênero, raça, etnia, credo e outros fatores, segurança e privacidade de dados, felicidade do cliente, investimento social, e relacionamento com as comunidades locais.

Governance ou Governança

Está ligado aos procedimentos, regras, estratégias e princípios de gestão que são implementados por corporações e entidades.

Eles incluem, por exemplo, conduta corporativa, a composição do conselho e sua independência, práticas anticorrupções, a disponibilidade de canais de denúncia sobre casos de discriminação, auditorias internas e externas, respeito aos direitos dos consumidores, fornecedores e investidores, transparência de dados, e remuneração executiva, entre outras coisas.

Portanto, prescreve, aconselha, fiscaliza e informa sobre comportamentos sustentáveis, que estão intimamente ligados às duas outras palavras.

Como surgiu o termo ESG?

O conceito foi cunhado em 2004 em um relatório chamado “Who Cares Wins” pelo Global Compact, braço da ONU que pretende envolver empresas e organizações na adoção de princípios nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e combate à corrupção, em colaboração com o Banco Mundial.

O Kofi Annan, então secretário-geral da ONU, provoca 50 presidentes de grandes instituições financeiras na publicação sobre como integrar fatores sociais, ambientais e de governança no mercado de capitais.

Durante o mesmo período, o PNUMA-FI produziu o estudo Freshfield, um documento encomendado a um dos principais escritórios de advocacia do mundo, Freshfields, pela Iniciativa Financeira do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP FI).

O artigo examina o valor da integração ESG na determinação do valor financeiro de uma empresa.

Em vários fóruns de discussão, relatórios e estudos, a abreviatura ESG substituiu constantemente o termo sustentabilidade.

Agora é um termo para o que as empresas e organizações estão fazendo para serem socialmente responsáveis, ambientalmente sustentáveis ​​e bem administradas.

A importância das práticas de ESG e seus benefícios

A pandemia confirmou o que muitos de nós já suspeitávamos: precisamos reconsiderar como interagimos com o mundo. Nossos recursos naturais são finitos, as pessoas são a força motriz por trás do sistema e os bons valores permanecem.

Como resultado, as interações com os consumidores, que estão em fluxo há muito tempo, tomaram uma nova direção. O cidadão moderno está mais preocupado do que nunca com as implicações ambientais, uso de recursos naturais, igualdade de gênero, inclusão e diversidade, citando alguns tópicos.

Não se adaptar ao ESG pode impactar negativamente nos negócios, causando possível incomodo entre clientes, parceiros e funcionários, que estão cada vez mais exigindo que as organizações utilizem desses valores.

Para gerar maior valor para o negócio, é fundamental compreender a importância das práticas ESG e cada pilar que as sustenta.

1. Impacto nos investimentos

De acordo com uma pesquisa da Deloitte, 75% dos investidores globais usaram métricas ESG para pelo menos um quarto de seus investimentos gerais em 2019.

A lista está crescendo e os investidores estão cientes de que todas essas questões têm impacto no valor de mercado e na avaliação de uma empresa.

2. Impacto nos consumidores

Os clientes de varejo parecem concordar também. Os consumidores preferem produtos mais sustentáveis em todas as categorias, de acordo com o Centro de Negócios Sustentáveis da Universidade de Nova York.

Dito de outra forma, ao selecionar um chocolate, por exemplo, o cliente moderno considera outros fatores além do sabor.

Considera todo o processo de produção do chocolate, desde o plantio do cacau até a qualidade de vida do produtor, o impacto ambiental da produção e a utilização ou não de trabalho escravo ou infantil.

3. Impacto nos trabalhadores

Os trabalhadores também esperam que seus empregadores tomem decisões socialmente responsáveis. Funcionários satisfeitos têm duas vezes mais chances de permanecer na empresa por pelo menos cinco anos do que aqueles que trabalham apenas por dinheiro.

A fidelidade dos funcionários é benéfica para uma empresa porque reduz os custos de contratação, mantém os funcionários mais alinhados com a estratégia de negócios e melhora a memória institucional.

Em outras palavras, o ESG muda profundamente a forma como as empresas interagem com seus consumidores, funcionários, fornecedores, comunidades e governos locais. É uma situação ganha-ganha para todas as partes envolvidas.

Como aplicar o ESG?

Vamos detalhar a sigla e analisar cada aspecto individualmente para entender melhor a métrica ESG:

 

E (Environmental)  
Environmental ou ambiental

Diz respeito às atividades ambientalmente corretas de uma empresa, que podem incluir uma variedade de assuntos, por exemplo:

  • O desmatamento está sendo combatido;
  • Tenha um sistema de gestão de resíduos que seja limpo e eficiente;
  • Reduzir as emissões de gases de efeito estufa, como o CO². A energia solar pode lhe ajudar nisso, saiba mais clicando aqui;
  • A preservação da camada de ozônio;
  • A contaminação da água e do solo é combatida.
S (Social)
Social

Aqui tratar sobre aos bons comportamentos sociais, às relações internas e externas da instituição e às consequências que daí advêm, por exemplo:

  • Aumentar a diversidade no local de trabalho;
  • As leis trabalhistas devem ser respeitadas;
  • As relações com a comunidade são excelentes;
  • Políticas relacionadas ao bem-estar.
G (Governance)
Governance ou governança

Fala sobre os bons processos e políticas administrativas e financeiras de uma empresa, pois uma administração bem administrada fomenta a confiança dos consumidores e acionistas. A seguir estão alguns desses métodos:

  • A remuneração justa para os executivos tem que ser adotada;
  • Tenha uma rota para denunciantes;
  • Estratégias internas de anticorrupção devem ser implementadas;
  • Tenha seu próprio conselho de administração;
  • Os acionistas minoritários devem ser respeitados e privilegiados.

Nesse momento somos capazes de relacionar alguns dos serviços que uma empresa pode usar para se tornar membro do ESG.

O Lean Manufacturing é uma filosofia que promove a redução de desperdícios nos processos de uma empresa.

Isso ocorre como resultado da padronização de ações sugerida pelo sistema e do aumento da eficiência para eliminar desperdícios e, assim, aproveitar ao máximo todos os recursos utilizados pelo negócio, por exemplo, água e energia.

Desafios na implementação do ESG

Para determinar as dificuldades materiais da empresa, os desafios da adoção de ESG perpassam pelo exame do propósito da organização, riscos, diretrizes de sustentabilidade e padrões de governança corporativa, critérios de certificação, práticas ESG atuais e análise das perspectivas dos stakeholders.

Além disso, as métricas, metas e iniciativas estratégicas que abordam a ambição estratégica ESG devem ser definidas assim que a ambição estratégica ESG for determinada.

Por isso, entregar o valor esperado e garantir a perpetuidade das novas práticas e da cultura ESG desejada, alinhando esses objetivos e iniciativas da diretoria à operação, conectando-os às práticas e comportamentos esperados por sua organização, bem como ao modelo de relacionamento com os diferentes públicos, é indispensável.

Agora que você entendeu o que é o ESG, entre em contato com a Solled Energia e adquira o melhor serviço de energia solar para o seu negócio!

Compartilhar:

Faça uma simulação